Afogando-se na chama | Laura e Isa

Sentia-me contente por não estar apaixonado, por não estar contente com o mundo. Gosto de estar em desacordo com tudo. As pessoas apaixonadas tornam-se muitas vezes susceptíveis, perigosas. Perdem o sentido da realidade. Perdem o sentido de humor. Tornam-se nervosas, psicóticas, chatas. Tornam-se, mesmo, assassinas. — Charles Bukowski











vulnerável

terça-feira, 18 de abril de 2017


Eu estou escrevendo essa postagem com o meu coração partido, é realmente doloroso falar sobre esse tipo de coisa, e mesmo que o título da postagem tenha ficado vago, acho que nenhum outro se encaixaria melhor para esse contexto. A postagem de hoje é baseado na série 13 reasons why, que talvez muitos já tenham assistido ou ouvido falar.

Andei pesquisando, conversando com pessoas muito próximas e acabei descobrindo histórias dolorosas que eu não imaginava que existia. Esse foi o momento que eu coloquei a cabeça para pensar e percebi que talvez eu tenha sido um dos porquês, simplesmente por não ter dado atenção o suficiente, ou simplesmente ter achado os acontecidos considerados "normais". Já conseguiram decifrar o problema? Enfim, depois de todo esse ocorrido, eu acabei me sentindo extremamente triste, chateada e uma pessoa de caráter horrível.

Não se engane, nem todos são a Hannah, muitos chegam a passar pelas duas versões, a vítima e o porquê, mas infelizmente não posso falar para vocês qual o pior lado da história. Mesmo que a série tenha tomado uma proporção gingante e que as pessoas que tinham uma mente fechada (como eu), começaram a observar mais as situações, a grande maioria continua sem ter noção que não é a vítima da história ou então que a série não é baseada em um romance adolescente.

DE: UMA AMIGA QUE SOFREU ABUSO
IDADE: 17 ANOS
RELATO: "Eu sempre morei na mesma casa, com os mesmos vizinhos, um deles já tem seus 80 anos, minha mãe o acha o melhor vizinho da rua, faz tudo que ela precisa e está sempre disposto a ajudar, talvez ele até seja um bom vizinho... Em casa nunca houve um diálogo de todos ou aquela confiança de que "você pode contar tudo pra mãe, tô aqui pra te escutar", a relação de todos nós sempre foi muito conturbada, meu pai era alcoólatra, bebia de segunda a segunda, sem descanso e minha mãe trabalhava a noite e passávamos pouco tempo juntas, e nesse pouco tempo só tinha discussões, brigas, xingamentos e nunca parávamos pra conversar ou ver como eu estava em meio aquele monte de coisa, ela nem se quer imaginava que o bom vizinho passava a mão em mim, fazia carinhos indesejados e me dizia frases que eu ainda não tinha capacidade de entender e foi assim que eu aprendi a me calar e sofrer os abusos dele quieta, mas aprendi que a dor física compensava a emocional, então aprendi a me auto mutilar, todo dia, então veio a ideia do pra que viver, se era um constante vácuo entre a escola e a casa, sendo que só tinha respiração por ser no automático, que tudo parecia sem graça e nada era significante, era como se tudo passasse no silencioso, sem som, em preto e branco, tipo quando uma música toca e você não tem um fone ou uma caixa de som pra ouvir, a mesma sensação de quando você liga para a pessoa, mas o seu microfone tá quebrado e ela não responde por mais que seus berros alcancem um volume alto demais, quando você acaba de ver um filme de terror e olha para um canto com medo, era como levar um susto constantemente, isso acontecia todos os minutos do dia, até chegar a hora de dormir, e ainda sim vinham pesadelos, eu corria para algum lugar sem saber a direção, nem o destino. E a verdade é que remédio não mata, te faz vomitar, apagar por um longo tempo, mas não mata."

Se para vocês, meus caros leitores, foi doloroso ler esse depoimento, imagine para quem estava do lado dela o tempo inteiro e não imaginava que essa situação era real. 

DE: UMA CONHECIDA QUE RESOLVEU ME CONTAR SUA HISTÓRIA 
IDADE: 21 ANOS
RELATO: "Uma vez eu tava voltando de um show, já era tarde, e fui pegar um motoboy, aqueles que ficam na frente do evento esperando pra fazer corrida. A moto não era cadastrada mas era um senhor, daqueles que passam uma imagem tranquila ta ligado? Aí resolvi ir. Minha casa era muito perto dali, só não fui a pé porque as quadras daquele lugar são muito perigosas. Ai eu fui de boa, depois de alguns segundos na moto, o cara começou a puxar papo perguntando se eu sabia pilotar, eu disse que não, ele disse que era fácil e que ia me ensinar. Começou dizendo "aperta suas pernas contra mim, pode apertar forte", depois pegou meus braços e colocou na porra do (órgão genital masculino) dele e disse "pode segurar ficar aqui também" e ficou empurrando minhas mãos, mesmo que quando eu tire minhas mãos, percebendo que era o (órgão genital masculino) dele, então pra evitar algo pior eu fui e deixei as mãos lá, nisso, tudo que ele ia falando eu ia concordando, estava começando a ficar com medo. Mas a história toda era ele me "ensinando a andar de moto" mesmo eu dizendo que não queria saber. Daí chegou na rua da minha casa e eu apontei para ela, o cara simplesmente passou direto mano, naquela hora foi um misto de pavor e de coragem, porque naquela hora eu decidi que faria tudo pra me defender se eu precisasse. Ele passou da minha casa dizendo que iria me ensinar a pilotar na pista, aproveitar que não tinha ninguém acordado esse horário e a rua tava vazia! Nisso eu peguei e falei "pô, meu pai tá ali na porta me esperando, tá tarde já.." fiquei jogando dessas, com medo mas já com uma raiva intensa. Ai o motoqueiro falou "se preocupe não que hoje eu não vou te sequestrar não, deixa pra outro dia" e deu uma risadinha. Felizmente, ele voltou e me deixou em casa. Hoje em dia ando com estilete, canivete, spray e juro pra você que não tenho medo ou pena nenhuma de reagir numa situação necessária. Inclusive quero muito."

Recebi esse depoimento por mensagem, me doeu muito ler cada palavra pois eu me senti na história. Sem falar que não foi apenas esse abuso que essa "conhecida" sofreu, é realmente muito triste.

Pode não parecer, mas essas histórias acontecem com mais frequência do que podemos imaginar, é triste pensar sobre esse assunto, mas não podemos deixar passar como percebido. É necessário que exista denúncias e que a voz não seja calada. Vale a pena lembrar também, que não é apenas para abusos físicos, outros diversos tipos de abuso são tão importantes e precisam tanto de atenção como qualquer outra coisa que nos machuque.

Essa postagem é um apelo, um pedido encarecido para caso você, um amigo seu, um familiar ou qualquer "desconhecido" que estiver sofrendo esse tipo de coisa, denuncie, procure ajuda, mesmo que seja completamente difícil se expor, eu apelo para que vocês entrem em contato com os órgãos públicos, com membros família ou até mesmo comigo, juntos, podemos resolver essas situações. 

34 comentários:

  1. muito importante mesmo o seu por pra alertar as pessoas a ficarem mais atentas com o que se passa ao seu redor e o quão importante é o o fato de denunciar esses casos (e outros).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é muito importante mesmo! Obrigada por comentar ☺

      Excluir
  2. Que triste. E é triste mais ainda, pensar que isso acontece e com mais frequência. Bom você fazer ese post, para a alertar as pessoas, porque isso não pode mesmo passar despercebido :'(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, isso tem que ser reparado em cada pessoa, é perigoso deixar passar como algo "normal" como muitos fazem. Obrigada ♥

      Excluir
  3. Fico triste por todos(homens e mulheres) que já passaram por qualquer tipo de agressão sexual. Me sinto culpada como se estivesse deixando isso continuar acontecendo. Lembro de cada vez que "deixei quieto" alguma situação de assédio ou mesmo de ameaça que consegui escapar. E vendo essas histórias vejo que poderia não ter sido assim, não ter tido sorte, não ter funcionado meu plano. Os agressores continuam a solta fazendo merda. E eu não fiz nada pra impedir. Não vou nem assistir essa série, que meu sentimento de culpa vai a nivel 1000.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos NÃO deixar quieto, afinal, para essas situações pararem de acontecer, é necessário ocorrer denúncias. Eu acredito que podemos melhorar o mundo e as pessoas, só é questão de querer.

      Excluir
  4. Nunca vi a série...mas devemos estar atentos ao que se passa a nossa volta e se for o caso denunciar...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, devemos realmente fazer isso! Obrigada por comentar. ♡

      Excluir
  5. Nunca vi a série...mas devemos estar atentos ao que se passa a nossa volta e se for o caso denunciar...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, devemos realmente fazer isso! Obrigada por comentar. ♡

      Excluir
  6. Muito obrigado de coração <3 Fico mesmo feliz!!!

    É super importante falar neste assunto e, tal como referes, fazer por contornar a situação denunciando de vez. Ninguém merece deixar que o seu corpo (ou a mente porque abusos também podem ser psicológicos), ser 2entregue" de forma tão destruidora como nestes casos! Temos voz ativa! Sempre!!

    NEW GET THE LOOK POST | What To Wear on EASTER DAY?!
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não merece mesmo, nem a pior pessoa do mundo merece algo tão doloroso assim. Obrigada por comentar ♡

      Excluir
  7. São relatos muito fortes mesmo :( Fico muito triste por todos os dias estarem a acontecer casos como estes em todo o mundo! Ainda não vi a série 13 reasons why mas parece-me importante ver, especialmente pelos temas que trata.
    The Fancy Cats

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relatos fortes e o pior: verdadeiros! Assista a série, é uma lição de vida maravilhosa. Obrigada por comentar ♡

      Excluir
  8. Infelizmente essas coisas acontecem ainda, são relatos que deixa a gente até mesmo sem chão, a denuncia ainda é a melhor atitude a fazer, espero que um dia essas coisas acabem, Laura obrigada pela visita bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa agradecer... Esperamos que isso acabe o quanto antes. Obrigada pelo seu magnífico comentário. ♡

      Excluir
  9. Denunciar pode parecer a coisa certa a se fazer, mas é uma das coisas que mais acaba contigo depois de um abuso. Na delegacia, eles te tratam como lixo, e isso só piora a sua condição mental.

    Infelizmente, achei 13 Reasons Why uma série extremamente irresponsável e que não deveria ser transmitida. Não existe um diálogo real sobre a prevenção do suicídio, apenas uma culpabilização generalizada, sendo que o suicídio nunca é culpa de outras pessoas, por mais que suas ações tenham contribuido pra que a pessoa tomasse essa decisão.

    A única pseudo-culpa que as pessoas podem ter em relação ao suicídio de alguém é a de não prestarem atenção nos sinais, mas isso também não é totalmente válido porque ninguém é obrigado a ficar cuidando de todo mundo ao seu redor.

    Perdoa o desabafo, mas realmente odiei 13 Reasons Why por esses motivos, UHAUAHA.

    No mais, bem difíceis esses relatos. É complicado. Viver com traumas, com depressão e outros distúrbios nunca é fácil. E são mais comuns do que a gente pensa, infelizmente.

    Se cuide.
    Beijinhos.
    Burn baby burn

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos fazer com que séries, campanha e outras coisas desse tipo e que envolva assuntos importantes sejam cada vez mais divulgadas. É, eu acho que se nos juntarmos, vamos conseguir um resultado maravilhoso.

      Concordo quando diz que ninguém é obrigada a cuidar de todo mundo a seu redor, afinal cada pessoa tem sua vida, mas a série não diz que necessariamente você precise cuidar e sim apenas observar e isso não vai tomar seu tempo. Da pra perceber os sintomas muito rápido e essas pessoas precisam de ajuda e não vai matar ninguém tirar um tempinho para falar sobre.

      Mas respeito a opinião de cada um e fico feliz que tenha me contado o seu pensamento. Obrigada pela confiança ☺

      Excluir
    2. Oi, Laura. Fiquei feliz em saber que você e a Isabela vão trabalhar juntas nesse cantinho. Gostei da tua iniciativa em fazer uma postagem que abra os olhos das pessoas para esse assuntos tão conturbados. Eu mesma nunca sofri nenhum tipo de abuso, então é muito difícil para mim me colocar como protagonista desses relatos.

      Comento aqui como resposta, pois devo concordar com as palavras da Mary. Se eu, hipoteticamente, de alguma forma, sofresse um abuso (qualquer que seja), sinceramente eu não procuraria ajuda. Não em algum órgão público. Não em uma delegacia. Provavelmente eu teria que aumentar a dose dos antidepressivos que tomo desde os meus 13 anos.

      Sim! 13 Reasons Why é uma série extremamente irresponsável. E uma das primeiras coisas que eu comentei com um amigo, com essas palavras, foi: "Poxa, por que não tem um 'Não suicide. Procure ajuda, ligue para qualquer coisa que não te faça querer morrer instantaneamente depois de terminar a porcaria do episódio?". Não. Não tem nenhum recado, nenhum aviso, apenas "haverão cenas fortes de estupro, suicídio e blá blá blá no episódio a seguir". Quer dizer, a série vomita tanta coisa ruim para o telespectador, coisas que despertam sentimento de angústia... E, no fim das contas, ela (a série) não apresenta uma proposta para solucionar todos os problemas retratados nela. Para quem ao menos sofre/u uma coisa que a Hannah passou e já pensou em suicidar é quase que como um convite. Sério. E essa culpabilização generalizada, no fim das contas, não vai mudar o fato de que daqui há dez anos os garotos vão continuar fazendo listas escrotas e tratando as garotas — indefesas, como a Hannah e a Jessica — da forma que bem entenderem. Essa situação tem uma proporção e um histórico social muito maiores do que uma série de 13 episódios é capaz de resolver.

      Eu pensei em fazer uma postagem dizendo a minha opinião sobre a série, mas não costumo falar muito sobre coisas que me decepcionam. É por isso que não posso nem ao menos dizer que a odiei. Eu apenas tenho um curioso sentimento de indiferença. Talvez o comentário tenha ficado um pouco maior do que eu esperava, então me desculpe, mas senti a necessidade de compartilhar a minha opinião. Eu gostaria que a história da Hannah (e de muitos outros jovens que passaram o mesmo) tivesse sido diferente, e que hoje os adolescentes não encarassem esses mesmos problemas, mas deixo de lado o pensamento utópico de que o ensino médio possa ser, um dia, bom para alguém.

      Excluir
    3. Olá Isa, obrigada por deixar o seu comentário em nosso blog, eu fico muito feliz em te ver por aqui e tenho certeza que a Isabela também ♥

      Eu também nunca sofri abuso mas já ouvi algumas piadinhas completamente constrangedoras várias e várias vezes. Tenho certeza que eu também seria uma das pessoas que não procuraria ajuda se precisasse, iria apenas me dopar com remédios e coisas assim para me sentir melhor de alguma forma.

      Sim, com seu pensamento eu consegui compreender. A série realmente passa esse sentimento ruim e essa vontade absurda de cometer um ato suicida e eu cheguei a sentir isso, fico até mesmo imaginando quantas pessoas que sofrem com essa vontade tenham tentado tirar a própria vida depois de ter assistido aos 13 episódios. Sim, acho que essas coisas não iram parar, as pessoas INFELIZMENTE são cruéis e duras. Nessa parte eu super concordo, a série não vai mudar as pessoas e talvez seja até mais do que irresponsável por não ajudar as pessoas e talvez até piorar. Muito obrigada pelas versões de vocês, me abriram o olho para tanta coisa... (Isadora/Mary) ♡

      Seu comentário não ficou grande, seu comentário fez com que eu pensasse, assim como outras pessoas que talvez possam ler o mesmo tenham o pensamento aberto graças a você. Sério, eu adorei ler isso e um tempo antes de ler seu comentário eu percebi que a série é romantizada por muitas pessoas, não sei se você chegou a perceber mas as pessoas só prestam atenção em assuntos sérios por causa do romance envolvido entre Hannah que está morta e o Clay.

      Isa, obrigada pela sua confiança em dividir seu pensamento comigo, pode ter certeza que todos os pensamentos são respeitados aqui. Obrigada pelo belo comentário ☺

      Excluir
  10. Infelizmente é bem mais comum do que achamos mesmo. E acho sim que se tivermos alguém próximo nos dando sinais, tomarmos uma atitude em relação ao que está acontecendo.

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo que eu penso, obrigada por comentar ☺

      Excluir
  11. ain, nem sei o quê falar dessa série. foi a melhor atitude que a Netflix teve.A melhor decisão de mostrar essa história e realmente ver o que está de fato acontecendo com o mundo.
    Gostei do post :(

    beeijão
    http://www.carolhermanas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CONCORDO! Acho que a netflix acertou em cheio, desde o trailer até seu último episódio. Precisamos ver o que o mundo sente e cuidar dele, apenas isso!

      Excluir
  12. Importante ficar muito atento mesmo e disponível para ouvir quem a gente AMA sempre. Infelizmente esses casos de abuso não são raros. :(

    Um beijo! Não Me Mande Flores

    ResponderExcluir
  13. Nooossa, que tenso! E o mais triste é que essas historias são muito comuns e não temos nem ideia.
    Acredito que temos que tratar sempre todos bem, afinal nunca sabemos o dragao que cada um enfrenta...

    http://phalto.blogspot.com.br/

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, precisamos saber que ninguém é obrigada a aguentar problemas sem desabar e muitas vezes faltam pessoas para ouvir. Eu adorei te ver aqui, obrigada por comentar! ♡

      Excluir
  14. Acredito mesmo que se perdermos mais tempo conversando com o outro vamos saber de muitas histórias duras e de extrema valentia. A vida passa rasteiras mesmo! bj
    Coco and Jeans by Marisa x My Instagram x My Bloglovin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é só questão de atenção e amor ao próximo. ♡

      Excluir
  15. É estranho como em águas tão geladas causa tanto espanto uma ponta de iceberg.
    GK

    ResponderExcluir
  16. Já tinha assistido a série e me tocou bastante também. Dá até nojo de ler casos como esse, como pode existir seres humanos tão escrotos?
    Você está super certa, o importante é que, seja quem for, procure ajuda! Ninguém deveria passar por esse tipo de situação sozinho :/ O problema é que (como já comentaram) os órgãos públicos responsáveis muitas vezes culpabilizam a vítima, o que complica bastante já que, por causa disso, muita gente resolve se calar perante essas situações. As vezes também existe o medo de ser mal visto pelos próprios familiares e amigos, o que é ainda pior.
    É bom saber que essa série está mudando a visão de muitas pessoas ♥ Embora também ache que ela possa conter certos gatilhos para quem sofre (ou tem tendencia a ter) depressão, então só indicaria mesmo para quem achar que não se "abalaria" a ponto de querer tirar a própria vida (porque abalado todo muito que assistiu ficou ahaha). Mas vale ressaltar (acho que todo mundo já sabe) que depois dessa série o numero de pessoas relatando ter depressão e procurando ajuda aumentou consideravelmente, o que é bastante positivo. Acho que porque, embora a serie não tenha nenhum recado ou aviso sobre, ela foi bastante divulgada com mensagens preventivas ao suicídio. Foram criadas até hashtags! Então não tenho uma opinião formada ainda sobre o assunto.
    Ótima iniciativa ♥ Adorei a postagem, casos assim precisam ser relatados, uma pena que elas tenham passado por isso :/
    Beijos ^^

    Perdida em (M)arte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por ter comentado nessa postagem, é muito bom saber que você leu uma postagem antiga do blog!

      Eu entendi a parte, culpar a vítima é uma opção invalida, horrivel e dolorosa. Ninguém sabe realmente o que essa pessoa está passando e se ela ta te pedindo ajuda, realmente pode ter algo por ali. Sim, a série ajuda alguns a abrir os olhos e mata outros com vontades e desejos cruéis, inspirados em Hannah. Quando tiver uma opinião formada, venha falar comigo sobre, ok? Adoraria saber e comentar contigo alguns dos meus pensamentos.

      É realmente uma pena e doloroso, eu sinto tanto por elas... Queria acolher as duas e outras milhões, mas infelizmente a vida não é tão fácil assim. Obrigada pelo comentário maravilhoso e um beijo!

      Excluir